Tudo o que você precisa saber sobre troca de pneus

Os pneus representam um dos componentes mais importantes do veículo. Isso porque são a sustentação do automóvel. Realizar a troca regular desses produtos é mais uma etapa importante da manutenção deste grande companheiro do dia a dia – o seu carro.

Além disso, este componente tem a capacidade de transmitir a situação da suspensão e dos freios do veículo, ou seja, se algo estiver errado com esses itens, ele apresentará algum tipo de desgaste incomum, o que serve como alerta. Essa é apenas uma das tantas razões que fazem a troca dos pneus de um carro uma atividade primordial.

Nesta matéria especial, preparamos dicas importantes que vão te ajudar a evitar problemas futuros, além de aumentar a vida útil de várias peças do seu veículo. Descubra abaixo:

Como saber se chegou a hora?
Antes de realizar a troca dos pneus, é comum que seja feita uma etapa anterior da manutenção: o rodízio. A prática consiste em alterar a posição entre o eixo dianteiro e o traseiro, de forma que a borracha sofra um desgaste regular, aumentando a vida útil do produto. Tal atividade deve ser feita de acordo com a recomendação presente no manual do proprietário, com a quilometragem oscilando entre 5 mil e 10 mil quilômetros.

Caso isso já tenha sido feito, é importante prestar atenção no estado dos seus pneus. Por lei, a altura mínima dos sulcos é de 1,6 milímetros. Quando inferior a isso, eles já são considerados carecas, o que, se não trocados, pode resultar na apreensão do veículo.

Neste momento, é importante ficar atento, também, aos indicadores de desgaste, conhecidos como TWI (Tire Wear Indicator). Eles são pequenas saliências espalhadas nos sulcos dos pneus que servem para indicar que, quando a borracha chega nesta altura, é hora de trocá-los para manter a segurança de rodagem.

Fique atento!
Agora que você sabe quando deve realizar a troca, confira outras dicas para colocar esse cuidado em prática já:

Validade
É importante estar atento ao prazo dos pneus, geralmente cinco anos após a data de fabricação. Este dado pode ser encontrado na lateral do produto. Outra dica é que, na hora da troca, nunca deve ser substituído apenas um dos pneus. Quando realizada, ela deve ser feita com, no mínimo, os dois do mesmo eixo.

Calibragem
Esta é uma prática que pode auxiliar ou atrapalhar a vida útil dos seus pneus. Isso porque, quando feita de forma regular e correta, facilita a locomoção; porém, se a pressão estiver errada, pode causar o desgaste irregular da borracha.

Pneus cheios demais prejudicam prematuramente a parte central e ficam mais suscetíveis a impactos; já os murchos desgastam primeiro as bordas e o ombro, além de aumentar o consumo de combustível. De qualquer forma, você sai perdendo, portanto, esta é uma atividade que merece atenção.

Você sabia?
Cada tipo de pneu suporta um limite máximo de velocidade atingido pelo veículo. Para descobrir o do seu carro, basta olhar a lateral do pneu, que indicará até quantos quilômetros consegue alcançar, vide o modelo do produto que está sendo utilizado. Confira, abaixo, a tabela:

B – 50 km/h
C – 60 km/h
D – 65 km/h
E – 70 km/h
F – 80 km/h
G – 90 km/h
J – 100 km/h
K – 110 km/h
L – 120 km/h
M – 130 km/h
N – 140 km/h
P – 150 km/h
Q -160 km/h
R – 170 km/h
S – 180 km/h
T – 190 km/h
U – 200 km/h
H – 210 km/h
V – 240 km/h
W – 270 km/h
Y – 300 km/h

Aqui, no Toninho, realizamos este serviço com a qualidade que o seu veículo merece. Passe na unidade mais próxima de você!

Fonte: ICarros

É sabido que, periodicamente, deve-se realizar a troca de óleo do carro, uma prática essencial para garantir o bom funcionamento do veículo. A principal dica é ficar atento aos prazos, afinal, a vida útil do seu automóvel depende disso.

Realizar este cuidado evita situações como ruídos no motor, superaquecimento, falhas na partida e perda de potência. Além disso, resulta em um gasto menor do combustível pelo veículo. É importante lembrar que o momento de maior desgaste do motor é na partida, quando o óleo se encontra no fundo e, até ser bombeado para as partes altas, os componentes acabam trabalhando com pouco ou nenhuma lubrificação.

 

Apesar desta ciência sobre a necessidade da troca do óleo, sem falar da enorme quantidade de prejuízos que deixar de realizá-la pode trazer, muitas pessoas deixam o prazo passar. Foi pensando nisso que o Toninho reuniu dicas essenciais para te auxiliar nesse processo. Veja abaixo:

– Consulte o manual do carro

Apesar de, na maior parte das vezes, ser ignorado pelos motoristas, este documento é peça-chave na hora de realizar qualquer manutenção. No caso do óleo, não é diferente, já que é lá que vão estar as recomendações da frequência de troca pelo fabricante.

– Conheça o seu carro
Saber o funcionamento de seu veículo é um ato de prevenção, afinal, evita gastos futuros; e, também, é da segurança de sua vida e de pessoas que você gosta que estamos falando.

– Atente-se ao filtro
Ao realizar a troca do óleo, faça o mesmo com o filtro, pois é ele que retém as impurezas do motor. Ademais, não cometa o erro de apenas completar o nível do óleo, e sim realize a troca completa. E atenção: misturar substâncias novas com velhas pode acarretar em problemas futuros.

– Observe os fatores de redução
Geralmente, a troca de óleo é realizada no período entre 5 mil e 20 mil km. Porém, existem fatores que podem reduzir esse tempo. Aqueles que costumam passar com frequência por regiões de engarrafamento, usam bastante as estradas ou moram em lugares muito quentes precisam redobrar a atenção e fazer a checagem do nível com mais frequência.

– Escolha o óleo ideal
Lembre-se: de nada adianta realizar a troca do óleo se ele não for o indicado para o seu veículo; há no mercado materiais de base mineral, sintética e semissintética, com diferentes propriedades. Tal ato pode trazer consequências graves. Aqui, também vale frisar que você nunca deve misturar óleos diferentes durante a troca.

– Siga algumas dicas durante a checagem
Caso vá realizar o processo por conta própria, a recomendação é esperar o motor esfriar por, pelo menos, cinco minutos. Isso porque, com o óleo ainda muito quente, a chance de acidentes é maior. Outra dica é conferir o nível do lubrificante em locais planos para evitar uma checagem equivocada.

– Tome cuidado com o motor
Ao realizar a troca, não deixe cair óleo no motor, pois o lubrificante, ao entrar em contato com outras partes do automóvel, pode comprometê-las.

– Atente-se a multa!
Não trocar o óleo do carro periodicamente pode ocasionar em multas. É isso mesmo: o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê infrações – desde leves à gravíssimas – que se confirmam a partir de problemas gerados pela adulteração ou insuficiência de óleo no automóvel.

E aí, acha que está preparado para assumir esse compromisso com o seu carro? Ele merece! E aqui, no Toninho, você encontra o serviço de troca de óleo.

Passe na unidade mais próxima de você!

Fonte: Doutor Multas, 4 Rodas

Como escolher o pneu ideal para seu veículo

Os pneus possuem gravados nas laterais diversas informações referentes a dados e especificações do produto. Entre esses dados, além da marca fabricante e alguns termos comerciais e tecnológicos, está contida uma sequência numérica, que para muitos é algo indecifrável e um tanto quanto confuso. No entanto, saber o que estes números significam é de fundamental importância para identificar o melhor pneu para o seu carro e sua necessidade, pois ali constam especificações como a característica de construção, medida, carga máxima, velocidade máxima e diâmetro da banda de rodagem, informações que auxiliam o consumidor no momento da substituição do pneu usado por um novo.

A leitura do pneu

 

Considerando o pneu da ilustração, Michelin Primacy 3 205/55 R16, temos os seguintes dados:

205 – Largura do pneu em milímetros
55 – Perfil: Representa a relação percentual entre largura do pneu e altura do flanco. Neste caso, o flanco do pneu tem 55% da medida da banda de rodagem.
R – Tipo de construção do pneu. Neste caso o “R” significa radial.
16 – Diâmetro do aro.
91 – Indica a capacidade máxima de carga sobre o pneu (Vide tabela na ilustração).
V – Indicador de velocidade máxima que o pneu suporta. (Vide tabela na ilustração).

Chegou o feriado do carnaval e para evitar dor de cabeça na estrada, não esqueça de trazer seu carro para um check-up completo na Toninho Auto Center.

O feriado de carnaval é um dos períodos mais movimentados nas estradas de todo o Brasil, quando milhões de carros disputam espaço pelas rodovias, desta forma os riscos no trânsito aumentam consideravelmente, o que torna a manutenção preventiva do veículo indispensável para uma viagem tranquila.

A revisão do seu carro, antes de grandes deslocamentos, é de fundamental importância para a segurança do condutor e dos passageiros, além disso, peças em boas condições são mais econômicas, poupando combustível e consequentemente o seu bolso. Um carro em condições ideais de segurança se torna mais responsivo aos comandos do motorista nas situações de emergência enfrentadas na estrada.

Por isso, não deixe de verificar o nível de desgaste e pressão dos pneus, o sistema elétrico bem como o funcionamento das luzes de freio, farol e luzes do painel de instrumentos do veículo, limpadores de para-brisa e a água do radiador.

Para uma direção mais confortável, segura e econômica, renove o alinhamento e o balanceamento do carro. Confira e se necessário troque o óleo lubrificante do motor e o filtro de óleo. Lembre-se, em uma viagem, os componentes do veículo são mais exigidos e por isso devem ser novos ou revisados.

Por fim, cheque os itens de segurança, estepe, macaco, triângulo e chave de roda.

Para estar 100% precavido visite uma de nossas cinco lojas para um check-up completo e confira os preços especiais para o carnaval.

 

Direção defensiva para condições de emergência no trânsito

Em cenários de chuvas, tempestades ou neblinas, o ideal é evitar o trânsito, porém em muitas situações dirigir acaba sendo inevitável. Por isso listamos a seguir dicas importantes de direção defensiva, que podem garantir a segurança em situações de risco.

  1. Diminua a velocidade, pois há perda de visibilidade e perigo de aquaplanagem;
  2. Mantenha distância de pelo menos 10 metros do veículo da frente – a medida é o comprimento de aproximadamente dois carros;
  3. Acenda o farol baixo durante o dia. A medida aumenta a visibilidade e alerta os veículos de trás;
  4. Ligue imediatamente o desembaçador traseiro;
  5. Evite freadas bruscas e não faça manobras perigosas;
  6. Utilize a velocidade do limpador no mesmo nível do volume de água da chuva;
  7. Não use as mãos para limpar vidros embaçados, pois eles ficarão engordurados. Utilize um pano apropriado;
  8. Ligue o ar condicionado ou ventilador do carro. Se os vidros já estiverem embaçados, use ar quente;
  9. No caso de neblina, acenda imediatamente o farol baixo ou luzes de neblina;
  10. Jamais faça ultrapassagens;
  11. Mantenha a velocidade constante, sem fortes acelerações ou freadas bruscas;
  12. No caso de pistas de terra com muita lama, antes de tentar uma travessia verifique a consistência e profundidade das marcas deixadas por outros veículos. Se elas forem muito largas ou profundas, é melhor não arriscar.

 

Dicas para melhorar a dirigibilidade nestas condições:

– Utilize pneus Michelin. Comprovadamente o melhor desempenho frente a concorrência.

– Realize regularmente a cristalização no para-brisa. Esta medida repele a água e aumenta a visibilidade.

– Se o carro não tiver desembaçador, improvise sílica de equipamentos ou roupas.

 

Lembre-se, em situações extremas, o melhor é parar o carro no acostamento e esperar por uma melhor condição de dirigibilidade e segurança.

 

 

 

Qual é a diferença entre alinhamento e balanceamento

Frequentemente confundidos, alinhamento e balanceamento são procedimentos completamente diferentes. Contudo, atuam um em complemento ao outro melhorando a dirigibilidade e vida útil dos pneus, além de contribuir na economia de combustível.

O alinhamento atua no ajuste dos ângulos das rodas, mantendo-as perpendiculares ao solo e paralelas entre si. Já o balanceamento é o reequilíbrio da massa do pneu por meio de contrapesos de chumbo, o que permite o pneu girar sem provocar vibrações nos veículos a partir de determinadas velocidades.

 

Por que o alinhamento é importante?

Na maioria dos veículos o alinhamento previne:

  • O desgaste irregular dos pneus, aumentando a sua vida útil;
  • O excesso de atrito do pneu no solo, contribuindo para a economia de combustível do veículo;
  • Evitar instabilidades no veículo, melhorando a dirigibilidade e a segurança.

 

Por que um veículo pode perder o seu alinhamento?

O alinhamento do seu veículo pode ficar comprometido por causa do choque do pneu com uma calçada, buracos nas pistas ou mesmo em acidentes mais graves como uma batida. Quando o veículo está desalinhado, as bordas (ombros) dos pneus se desgastam mais rapidamente, comprometendo o desempenho do veículo. Isso fará com que você tenha que trocar os pneus antes do esperado.

Um simples desalinhamento pode ocasionar sérios problemas em seu veículo.

 

Quando fazer o alinhamento dos pneus?

  • Em todas as revisões periódicas estipuladas pelo fabricante do veículo;
  • Sempre após um impacto forte contra buracos, pedras, guias ou outros objetos;
  • Sempre que houver a substituição de algum elemento da suspensão ou da direção;
  • Toda vez que notar algum comportamento estranho no veículo, tendendo a ir mais para um lado ou com dificuldade de se manter na trajetória;
  • Quando forem verificados desgastes irregulares nos pneus;
  • Sempre que houver substituição de pneus.

 

Por que o balanceamento é importante?

As consequências da não realização do balanceamento ou de um procedimento mal feito nas rodas dianteiras e traseiras se materializam por vibrações, seja no volante, no piso do carro, no painel de instrumentos ou nos assentos, em distintas faixas de velocidades.

O balanceamento nas quatro rodas é absolutamente essencial para o conforto na condução e na manutenção do desempenho dos pneus.

Quando realizar o balanceamento?

  • Ao verificar os primeiros sinais de trepidação.
  • Após troca ou reparo nos pneus
  • Periodicamente após 5 mil quilômetros rodados.

O alinhamento e balanceamento são operações simples, mas que demandam equipamentos adequados, e profissionais qualificados. Por isso, visite uma de nossas cinco lojas e conquiste os melhores serviços e as melhores condições.

Fonte: Conteúdo Michelin**