A importância do rodízio de pneus

Como escolher o pneu ideal para seu veículo

Os pneus possuem gravados nas laterais diversas informações referentes a dados e especificações do produto. Entre esses dados, além da marca fabricante e alguns termos comerciais e tecnológicos, está contida uma sequência numérica, que para muitos é algo indecifrável e um tanto quanto confuso. No entanto, saber o que estes números significam é de fundamental importância para identificar o melhor pneu para o seu carro e sua necessidade, pois ali constam especificações como a característica de construção, medida, carga máxima, velocidade máxima e diâmetro da banda de rodagem, informações que auxiliam o consumidor no momento da substituição do pneu usado por um novo.

A leitura do pneu

 

Considerando o pneu da ilustração, Michelin Primacy 3 205/55 R16, temos os seguintes dados:

205 – Largura do pneu em milímetros
55 – Perfil: Representa a relação percentual entre largura do pneu e altura do flanco. Neste caso, o flanco do pneu tem 55% da medida da banda de rodagem.
R – Tipo de construção do pneu. Neste caso o “R” significa radial.
16 – Diâmetro do aro.
91 – Indica a capacidade máxima de carga sobre o pneu (Vide tabela na ilustração).
V – Indicador de velocidade máxima que o pneu suporta. (Vide tabela na ilustração).

Como cuidar dos pneus de seu veículo?

Os pneus são os componentes responsáveis pelo contato do veículo com o solo e por isso são os principais itens de segurança. Sua vida útil é estimada entre 50 mil e 70 mil Km*. Contudo, são necessários cuidados no decorrer da vida útil, com o objetivo de preservar a segurança e o conforto ao dirigir. Você sabe como cuidar dos pneus de seu veículo? Fique atento(a) as nossas dicas:

Calibragem – Este procedimento deve ser realizado periodicamente a cada 15 dias**, necessariamente com os pneus frios. É importante manter a pressão correta dos pneus, pois além de contribuir para a segurança e melhorar o desempenho, torna o automóvel mais econômico. Verifique o Manual do proprietário de seu veículo para saber a calibragem exata a ser feita. Uma pressão abaixo dos padrões estabelecidos reduz a durabilidade do pneu (em pelo menos 8.000 km), aumenta o consumo de combustível e favorece o risco de explosão do componente e acidentes na pista.

Pneus com pressão acima dos padrões têm a área de contato com o solo reduzido perdendo a aderência. Isto pode aumentar o risco de acidentes em casos de frenagem emergenciais e ocasionar a perda da trajetória do veículo nas curvas, em alta velocidade.

Indicadores de desgaste – São componentes de controle da vida útil dos pneus, também conhecido como TWI, sigla em inglês para indicador de desgaste de banda de rodagem, e estão localizados entre os sulcos dos pneus. Quando expostos, indicam que o desgaste chegou a um ponto crítico, comprometendo a segurança do condutor e dos passageiros. Neste cenário a troca deve ser imediata.

Revise a cada 10 mil Km – Embora a vida útil estimada dos pneus chegue a 70 mil Km, é importante que sejam feitas revisões periódicas, de preferência a cada 10 mil Km, com o objetivo de corrigir possíveis danos causados aos pneus no dia a dia. Buracos de rua e pequenas batidas podem causar danos que comprometem a dirigibilidade e a segurança do condutor e dos passageiros.

Rodízio dos pneus – Outro fator altamente recomendável é o rodízio dos pneus a cada 5.000 km. Além de prolongar a vida útil, essa medida garante melhor dirigibilidade e previne o desgaste prematuro dos componentes da suspensão.
Cuide de seus pneus com a Toninho Auto Center, revendedora oficial Michelin.

* Vida útil varia de acordo com as diferentes linhas de pneus. Valores baseados na linha Michelin.
**Recomendação Michelin

O transporte de crianças em veículos demanda cuidados que por vezes passam despercebidos pelos condutores que acreditam estar protegendo as crianças, quando na verdade estão cometendo equívocos. É muito importante saber escolher o modelo certo do dispositivo que acomodará a criança baseado na idade e/ou altura e peso. Este é o ponto delicado, em que uma escolha errada pode comprometer a segurança da criança. Existem três categorias de produtos destinados a acomodação no veículo. O bebê-conforto, a cadeirinha e  assento em elevação. A Toninho Auto Center explica a diferença entre estes itens para você.

Bebê-conforto: Durante o primeiro ano de idade da criança, este é o item a ser usado. O bebê deve ficar acomodado com o rosto virado de frente para o encosto do banco traseiro, em posição contrária ao movimento e preso pelo cinto de segurança do próprio bebê conforto. Nesta posição, o pescoço da criança fica protegido de freadas bruscas, garantindo mais segurança no transporte.

Cadeirinha: É o equipamento indicado para crianças de 1 a 4 anos de idade. Ao contrário do bebê-conforto, a instalação do equipamento deve ser feita de forma que a criança fique virada para a frente. Da mesma forma que o bebê conforto, a cadeirinha possui cinto de segurança próprio, portanto não deve ser usado o cinto do carro diretamente na criança.

A fixação de ambos os equipamentos são feitos pelo cinto de segurança do veículo, passando pelos locais indicados no produto.

Assento em elevação: Entre 4 e 7 anos de idade o assento em elevação se torna o equipamento ideal, elevando a altura da criança, de modo que o cinto de segurança do veículo possa se encaixar corretamente na altura do ombro. A fixação é feita pelo cinto de segurança do veículo que fixa ao mesmo tempo o dispositivo e a criança.

A partir dos 10 anos a criança não possui mais restrições e pode ser transportada no banco da frente.

O uso de dispositivos de segurança para crianças é obrigatório por lei em todo o território nacional, sendo punido com multa de R$ 191,54 e perda de sete pontos na carteira.